Arquivo da tag: deputados

Crucifixos poderão ser obrigatórios nas escolas de SP

Projetos de lei Assembleia Legislativa
Por Nathan Lopes

Por não ser significativo a toda uma população, o uso de símbolos religiosos em locais públicos tem causado controvérsia nos últimos tempos. E ela pode aumentar no estado de São Paulo.

O projeto de lei 35/2011, do deputado Orlando Morando, do PSDB, obriga a fixação de crucifixos “no interior das instalações dos estabelecimentos de ensino”. Segundo um artigo do texto, o objeto católico “deverá ser mantido em local e tamanho de fácil visualização, em área de circulação”.

Morando afirma, na Justificativa, não querer contrapor-se ao Estado laico. “Pensamos em manter vivo o símbolo da fé daqueles que habitam o querido estado de São Paulo”.

Ele completa dizendo que o crucifixo enriquece de significado a vida, “a qual, hoje em dia, infelizmente não se dá muito valor”.  “Além de ser um símbolo que representa a moralidade do povo brasileiro, de fortificação, adesão espiritual a DEUS PAI onipotente”.

De certa forma, prevendo a visão de quem não segue o catolicismo, o deputado aponta que “o jargão ‘Deus, Pátria e Família’ sintetiza o cerne dos valores que a sociedade deve cultuar de forma permanente, independente de credo ou religião”.

Ainda na busca por defender seu ponto de vista, Orlando Morando acredita não se poder permitir que “o sentimento de uma minoria imponha normas a serem seguidas pela grande maioria das pessoas”.

Não se deve confundir tolerância com concordância; nem mesmo com aquiescência na adoção de hábitos que, indiscutivelmente, nada acrescentam para a qualidade de vida do ser-humano”.

Em regime de tramitação ordinária, o projeto de lei foi publicado no Diário da Assembleia no último dia 18 de fevereiro.

Veja outros projetos:
 Água de chuva poderá ser reutilizada obrigartoriamente em SP

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Projetos de lei

Os candidatos com mais votos que não serão deputados

Por Nathan Lopes

Ao término da apuração dos votos para os cargos de vereador e deputado, retorna às conversas o assunto: a eleição deve ser majoritária ou proporcional? Esta é a que está em vigor. Ela se faz através da divisão do total de votos válidos pela quantidade de vagas nas Câmaras municipal, estadual ou federal. Para isso, dá-se o nome de “quociente eleitoral”. No pleito do último domingo, foram definidas as quantidades dele para deputados federais e estaduais.

Em São Paulo, o quociente para definir os eleitos que trabalharão em Brasília calculou-se na casa de 304.533 votos. A cada vez que um partido atingisse essa quantia, lhe seria de direito uma vaga de deputado federal. Seguindo essa lógica, nove políticos foram eleitos, mesmo tendo menos votos que outros concorrentes, os quais não se elegeram.

O grande prejudicado com a situação foi o PSDB. Dos que ficaram de fora, sete eram do partido. Coincidentemente, os outros dois faziam parte do DEM, seu aliado. Daqueles que entraram pela proporcionalidade, cinco eram do PV; dois do PDT; um do PSB e outro do PP.

Já na Assembleia Legislativa, oito candidatos com votação maior não conseguiram uma das noventa e quatro cadeiras. Eles eram três duplas de PR, PT e PTB, além de um do PMDB e outro do PPS. Foram eleitos, nos lugares deles, dois de PV e PSB, e um de PSDB, PDT, PSC e PP. O quociente para deputado estadual é de 225.833 votos.

Abaixo, o EspelhoSP apresenta a lista de quem deveria ter entrado na Câmara se a eleição fosse majoritária, além da dos que se elegeram pela proporção dos votos em seus respectivos partidos.

DEPUTADOS FEDERAIS (sistema majoritário)

Vanderlei Macris (PSDB) – 111.531
Dr. Eleuses Paiva (DEM) – 107.464
Silvio Torres (PSDB) – 107.035
Walter Feldman (PSDB) – 105.085
Alberto Mourão (PSDB) – 104.433
Walter Ioshi (DEM) – 104.400
Carlos Roberto (PSDB) – 103.373
Pannunzio (PSDB) – 96.897
Renato Amary (PSDB) – 95.089

DEPUTADOS FEDERAIS (sistema proporcional)

Ricardo Izar (PV) – 87.347
Aline Correa (PP) – 78.317
Penna (PV) – 78.301
Abelardo Camarinha (PSB) – 71.637
Roberto de Lucena (PV) – 70.611
João Dado (PDT) – 70.486
Roberto Santiago (PV) – 60.180
Dr. Sinval Malheiros (PV) – 59.209
Salvador Zimbaldi (PDT) – 42.743

DEPUTADOS ESTADUAIS (sistema majoritário)

Waldir Agnello (PTB) – 77.160
Uebe Rezeck (PMDB) – 68.622
Conte Lopes (PTB) – 68.491
Vitor Sapienza (PPS) – 67.316
Beth Sahao (PT) – 66.766
Alexandre da Farmácia (PR) – 66.295
Tito (PT) – 66.011
Osvaldo Virginio (PR) – 64.242

DEPUTADOS ESTADUAIS (sistema proporcional)

Geraldo Vinholi (PSDB) – 62.580
Jose Bittencourt (PDT) – 58.954
Ed Thomas (PSB) – 57.853
Curiati (PP) – 57.727
Marcos Neves (PSC) – 54.759
Dr. Ulysses (PV) – 41.623
Regina Gonçalves (PV) – 37.618
Bolçone (PSB) – 31.274

Deixe um comentário

Arquivado em Cidades

Os deputados estaduais de 2011-2014

Por Nathan Lopes

Das 94 cadeiras da Assembleia Legislativa de São Paulo, praticamente metade será de PSDB e PT. Os petistas elegeram 24 deputados, enquanto os tucanos, 23. Assim como na Câmara Federal, o PSOL aparece com um representante. Na mesma situação estão o PP e o PR. Este, aliás, não teve um Tiririca que lhe desse mais posições entre os deputados estaduais na eleição do último domingo.

Abaixo, o EspelhoSP divulga a lista dos eleitos para a gestão 2011-2014, separados por partido. Ela começa pelo do deputado mais votado: Bruno Covas, do PSDB.

Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB)23 deputados

Bruno Covas – 239.150 (mais votado)
Paulo Alexandre Barbosa – 215.061
Fernando Capez – 214.592
Pedro Tobias – 198.379
Barros Munhoz – 183.859
Orlando Morando – 138.630
Samuel Moreira – 130.865
Analice Fernandes – 125.116
Celino – 123.667
Mauro Bragato – 123.283
Carlos Bezerra Jr. – 107.837
Roberto Engler – 95.297
Célia Leão – 93.318
Celso Giglio – 91.289
Marcos Zerbini – 85.678
Roberto Massafera – 81.380
Helio Nishimoto – 78.906
Ary Fossen – 76.406
Carlão Pignatari – 70.337
Maria Lúcia Amary – 67.804
Cauê Macris – 66.412
Welson Gasparini – 62.679
Geraldo Vinholi – 62.580

Partido Trabalhista Brasileiro (PTB)4 deputados

Campos Machado – 214.519
Coronel Edson Ferrarini – 90.446
Roque Barbiere (Roquinho) – 84.012
Heroilma Soares Tavares – 80.819

Partido dos Trabalhadores (PT)24 deputados

Edinho Silva – 184.397
Rui Falcão – 174.691
Enio Tatto – 161.170
Alencar – 154.272
Geraldo Cruz – 131.206
Carlos Grana – 126.973
Simão Pedro – 118.453
Ana Perugini – 115.342
João Paulo Rillo – 111.822
João Antonio – 110.684
Donisete Braga – 105.436
Luiz Moura – 104.705
Isac Reis – 100.638
Luiz Claudio Marcolino – 96.594
Antonio Mentor – 94.174
Telma de Souza – 90.361
Gerson Bittencourt – 89.920
Hamilton Pereira – 80.963
Ana do Carmo – 80.452
Marcos Martins – 80.131
Adriano Diogo – 77.924
Zico – 71.502
Marco Aurélio de Souza – 69.485
José Candido – 68.202

Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB)4 deputados

Baleia Rossi – 176.787
Caruso – 94.894
Jooji Hato – 83.855
Itamar Borges – 79.195

Partido Verde (PV)9 deputados

Rita Passos – 154.351
Feliciano – 137.573
Giriboni – 93.123
Pastor Dilmo dos Santos – 90.909
Padre Afonso – 87.674
Reinaldo Alguz – 78.964
Chico Sardelli – 68. 721
Dr. Ulysses – 41.693
Regina Gonçalves – 37.618

Democratas (DEM)8 deputados

Gil Arantes – 145.128
André Soares – 136.919
Milton Leite Filho – 106.538
Edmir Chedid – 104.602
Estevam Galvao – 101.883
Aldo Demarchi – 86.672
Gilson de Souza – 77.664
Milton Vieira – 71.523

Partido Democrático Trabalhista (PDT)4 deputados

Major Olimpio – 135.409
Rafael Silva – 97.183
Rogério Nogueira – 86.985
Jose Bittencourt – 58.954

Partido Social Cristão (PSC) – 4 deputados

Rodrigo Moraes – 124.278
Pastor Carlos Cezar – 67.189
Adilson Rossi – 64.646
Marcos Neves – 54.759

Partido Popular Socialista (PPS)4 deputados

Alex Manente – 114.714
Roberto Morais – 107.145
Gondim – 104.663
Davi Zaia – 68.658

Partido Socialismo e Liberdade (PSOL)1 deputado

Carlos Giannazi – 100.808

Partido Socialista Brasileiro (PSB)3 deputados

Vinicius Camarinha – 97.028
Ed Thomas – 57.853
Bolçone – 31.274 (menos votado)

Partido Republicano Brasileiro (PRB)2 deputados

Gilmaci Santos – 96.976
Sebastião Santos – 73.805

Partido da República (PR)1 deputado

André do Prado – 86.346

Partido Comunista do Brasil (PC do B)2 deputados

Leci Brandão – 86.298
Pedro Bigardi – 67.758

Partido Progressista (PP)1 deputado

Curiati – 57.727

1 comentário

Arquivado em Cidades

Deputados federais de SP a partir de 2011

Por Nathan Lopes

As setenta vagas paulistas na Câmara já foram preenchidas. Mas, até o final do ano, seus donos podem mudar. Primeiro, é necessária a confirmação ou não da validade da lei “Ficha Limpa”. Enquanto isso, os nomes abaixo serão os deputados federais do estado de São Paulo a partir de 2011.

A maior bancada é do PT, com 16 representantes, seguida da do PSDB, com 13. PSOL e PMDB elegeram apenas um deputado cada.

Partido da República (PR)4 deputados

Tiririca – 1.353.820
Valdemar Costa Neto – 174.826
Pastor Paulo Freire – 161.083
Milton Monti – 131.654

Partido Socialista Brasileiro (PSB)7 deputados

Gabriel Chalita – 560.822
Luiza Erundina – 214.114
Ota – 213.024
Márcio França – 172.005
Jonas Donizette – 162.144
Jefferson Campos – 116.317
Abelardo Camarinha – 71.637

Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB)13 deputados

Bruna Furlan – 270.661
Emanuel Fernandes – 218.789
Edson Aparecido – 184.403
José Aníbal – 170.957
Vaz de Lima – 170.777
Mara Gabrili – 160.138
Carlos Sampaio – 145.585
Thame – 139.727
Tripoli – 134.884
Luiz Fernando Machado – 129.620
Duarte Nogueira – 124.737
Dib – 113.823
Julio Semeghini – 113.333

Partido Democrático Trabalhista (PDT) – 3 deputados

Paulinho da Força – 267.208
João Dado – 70.486
Salvador Zimbaldi – 42.743

Partido dos Trabalhadores (PT)16 deputados

João Paulo Cunha – 255.497
Jilmar Tatto – 250.467
Zarattini – 216.403
Arlindo Chinaglia – 207.465
Vicente Candido – 160.242
Filippi – 149.525
Janete Pietá – 144.529
Vicentinho – 141.068
Ricardo Berzoini – 140.525
José Mentor – 139.691
Paulo Teixeira – 134.479
Carlinhos Almeida – 134.190
Vaccarezza – 131.685
Devanir Ribeiro – 127.952
Newton Lima Neto – 110.207
Vanderlei Siraque – 93.314

Democratas (DEM)6 deputados

Rodrigo Garcia – 226.073
Jorge Tadeu – 164.650
Eli Correa Filho – 124.608
Junji Abe – 113.156
Alexandre Leite – 112.950
Guilherme Campos – 112.852

Partido Social Cristão (PSC)2 deputados

Marco Feliciano – 211.855
Marcelo Aguiar – 98.842

Partido Trabalhista Brasileiro (PTB)2 deputados

Arnaldo Faria de Sá – 192.336
Nelson Marquezelli – 117.634

Partido Socialismo e Liberdade (PSOL)1 deputado

Ivan Valente – 189.014

Partido Republicano Brasileiro (PRB)2 deputados

Antonio Bulhões – 162.667
Otoniel Lima – 95.971

Partido Progressista (PP)2 deputados

Missionário José Olimpio – 160.813
Aline Correa – 78.317

Partido Popular Socialista (PPS)3 deputados

Arnaldo Jardim – 140.641
Dimas Ramalho – 139.636
Roberto Freire – 121.471

Partido Comunista do Brasil (PC do B)2 deputados

Aldo Rebello – 132.109
Delegado Protógenes – 94.906

Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB)1 deputado

Edinho Araújo – 100.195

Partido Verde (PV)6 deputados

Guilherme Mussi – 98.702
Ricardo Izar – 87.347
Penna – 78.301
Roberto de Lucena – 70.611
Roberto Santiago – 60.180
Dr. Sinval Malheiros – 59.209

1 comentário

Arquivado em Cidades