Pelas pêras

Descansando de SP

Por Luma Pereira

Um anjo que se apaixona por uma mortal. Esse é o enredo do filme estadunidense e alemão Cidade dos Anjos, do diretor Brad Silberling.

O romance foi produzido em 1998 e conta a história de Seth, anjo interpretado por Nicolas Cage, que ama Maggie Rice – vivida por Meg Ryan – uma médica-cirurgiã dedicada à profissão.

Seth é um anjo da guarda encarregado de proteger as pessoas da Terra, além de levar os que morrem para o lugar aonde devem ir. Numa das primeiras cenas, Seth acompanha Susan (Sarah Dampf), e no caminho pergunta a ela “O que você mais gostava na vida?” Ao que a garotinha responde: “Pijamas”.

Maggie é uma profissional competente e tem a razão como principal aliada. Após perder um paciente sem motivo racional aparente, ela começa a se questionar sobre seus poderes como médica. Seth, então, se aproxima da protagonista e acaba se apaixonando por ela.

Cidade dos Anjos sugere algumas diferenças essenciais entre os humanos e os anjos. Seth não pode sentir sabores, nem cheiros, nem tem o sentido do tato. Ele passa o tempo todo imaginando como seria o prazer do toque ou o gosto das frutas.

Em outra cena memorável da película, o anjo da guarda pede que Maggie descreva para ele o gosto da pêra. Baseada no modo de descrever de Hemingway, a cirurgiã responde que a pêra é “Suculenta. Macia ao paladar, granulosa tipo areia doce dissolvendo na boca”.

No filme, os anjos vestem sobretudos pretos, e sempre observam tudo do alto. Através da escolha destas vestimentas, Silberling consegue transmitir ao público a imponência e o poder que os seres celestiais têm. O diretor os mostra como protetores.

Como Seth não tem sensações da mesma maneira que os humanos, e, por conseguinte, não pode sentir Maggie, ele cogita deixar de ser um anjo para poder viver esse amor. Almeja saber como é ter o vento batendo no rosto, o prazer do toque no corpo e o gosto da pêra descrita pela amada na boca.

Cidade dos Anjos é a versão hollywoodiana de Asas do Desejo, filme do diretor alemão Wim Wenders, produzido em 1987. Nesta versão original, o anjo se apaixona por uma trapezista. Além disso, as diferenças de comunicação entre seres celestiais e humanos são mais explicitadas.

Seth só queria saber qual era o gosto das pêras para ele mesmo, e não para Maggie nem para os autores dos livros. Queria sentir sabores que fossem apenas seus e de mais ninguém. Além disso, almejava amar a protagonista em todos os sentidos.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Descansando de SP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s