A cidade ideal

SP nas novelas
Por Raphael Scire

A teledramaturgia brasileira deu especial destaque à cidade de São Paulo em 2010. No começo do ano, três tramas eram ambientadas na capital paulista: Caras&Bocas, de Walcyr Carrasco, Tempos Modernos, de Bosco Brasil, e Poder Paralelo, de Lauro César Muniz. Delas, Tempos Modernos é que a mostrava a cidade sob uma ótica mais idealizada – o centro velho reformulado, sem sujeiras e violência.

O colorido da cidade cenográfica de Caras&Bocas parece ter sido transferido para o remake de Ti ti ti. Não espanta o fato do diretor das duas tramas ser o mesmo – Jorge Fernando. À época da estreia da novela, a autora Maria Adelaide Amaral deu uma entrevista ao caderno de TV do jornal O Estado de São Paulo e disse que não poderia ambientar a história em outro lugar a não ser São Paulo. E não poderia mesmo. A trama original, de Cassiano Gabus Mendes, também se passava por aqui.

A novela de 2010 mostra inúmeras referências à cidade. O ateliê de Jacques Leclair (Alexandre Borges) fica no emergente bairro do Jardim Anália Franco, na zona leste. Mas ele sonha mesmo em abrir uma filial na Oscar Freire, tradicional reduto de fashionistas paulistanos. O bairro dos Jardins é mostrado com toda a efervescência do mundo da moda, tal como pede a trama. Autora e equipe não poupam piadas com a cidade: elas vão do trânsito caótico à degradação de algumas áreas da metrópole.

E a cidade também chegou ao horário nobre. Também na zona leste, concentra-se o núcleo popular de Passione, de Silvio de Abreu. Mas a diversão da trama fica em outro bairro: o Jardim América. É lá que mora Clô Souza e Silva. A personagem de Irene Ravache não demorou muito para roubar a cena e brilhar na novela – brilho, aliás, que é corroborado pelo figurino extravagante da perua. Nascida em Vila Monumento, criada no Cambuci, a emergente paulistana não se cansa de dizer que já foi pobre e não gostou.

Ela subiu de vida ao se casar com Olavo Silva (Francisco Cuoco), um empresário que ganhou dinheiro com a reciclagem de resíduos. No início da história morava em um bairro popular, distante do Jardim América, onde sempre sonhou em residir. Fez que fez que acabou conseguindo convencer o marido a comprar uma mansão por lá, perto de sua ídola Bete Gouveia (Fernanda Montenegro).

Para conquistar o público masculino, o autor Silvio de Abreu desenvolveu ainda a trama de Gerson (Marcello Antony), um campeão de Stock Car. Vira e mexe, imagens do carro do piloto a correr no autódromo de Interlagos são exibidas na telinha.

Apesar de sabermos que todos aqueles stock shots – imagens panorâmicas da cidade – mostrados são recortes da realidade e do chiado da fala de alguns atores (muitos deles cariocas), São Paulo é retratada com fidelidade pelos autores de telenovelas. É uma maneira de mostrar uma cidade ideal, de expô-la além de seus problemas habituais. Esse, ficam reservados aos telejornais locais.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em TV

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s