Dança de todos os escuros

Descansando de SP
Por Luma Pereira

Dançando no Escuro (2000) é um drama musical dirigido pelo cineasta dinamarquês Lars Von Trier.

O enredo se passa nos Estados Unidos, em 1964, e a protagonista é Selma Jezková, interpretada pela cantora islandesa Björk. Imigrante tcheca, ela se muda para o país com o filho, Gene (Vladica Kostic), com quem mora num trailer localizado na propriedade do policial Bill (David Morse) e da esposa Linda (Clara Seymour). Selma sofre de uma doença que a levará a cegueira e, por isso, sente os acontecimentos da vida de maneira diferente.

Através principalmente do tato e da audição, ela consegue se comunicar. Também se expressa por meio das músicas que canta – pela voz – e da dança. O intuito da protagonista é juntar dinheiro para a operação de Gene, que tem o mesmo problema de visão e pode ficar cego, se não for tratado. Para tal, ela trabalha com a amiga Kathy (Catherine Deneuve) e o amigo Jeff (Peter Stormare) numa metalúrgica das proximidades, e guarda cada centavo que recebe para a cirurgia do filho.

Selma adora os musicais hollywoodianos, aos quais assiste com Kathy nas horas vagas. A amiga representa com os dedos, na palma das mãos da protagonista, os passos das cenas das películas. Pelo tato, Selma é capaz de contemplar os movimentos de dança dos filmes. Além disso, ela ensaia a peça The Sound of Music numa companhia de teatro. Mas a protagonista vai além, transportando para a própria vida o gosto pelos musicais.

Em várias cenas do filme, Selma entra num estado de fantasia, e imagina as situações como se fossem dança e música. Ela se ausenta da realidade e, no sonho, consegue se libertar do peso de certas ocasiões. Vê na leveza dos movimentos e no timbre da voz o escape para as dificuldades que enfrenta. Em uma das cenas, Selma está trabalhando na fábrica, e, de repente, para e ouve os sons das máquinas. Escuta ritmo naquilo, sendo que, na imaginação da protagonista, os personagens dançam e cantam ao som da canção Cvalda – música que ela percebeu nas engrenagens dos equipamentos e nos sons do ambiente. A protagonista encontra a fuga na música e na dança.

O sentido da existência, para ela, está na ação e no movimento. A vida acontece não em falas vazias nem em diálogos repetitivos, mas nas letras de ritmo, e em passos de coreografia definida. O par de Selma é a fantasia que ela inventa para não sucumbir ao absurdo que vive – quem tira a protagonista para dançar é ela mesma, inserida no próprio devaneio. E o palco pode ser qualquer um que não tenha chão. A libertação de Selma está no escuro, o qual para ela é apenas uma maneira diferente de observar o mundo – a luz está apenas vestida de cor preta.

No decorrer de Dançando no Escuro, Selma acaba sendo demitida da fábrica, e, posteriormente, é roubada por Bill, seu vizinho. Ele utiliza para pagar dívidas de jogo o dinheiro que ela estava juntando para a operação de Gene. Quando a protagonista vai prestar contas do furto, Bill acaba a ameaçando com uma arma. Porém, a protagonista não intencionalmente o fere com o revólver, e então é presa e vai a julgamento. Após a sentença, na prisão, ela dança em meio às grades e aos outros presos, retirando-se momentaneamente daquela situação terrível. Caminha a passos breves e dançantes para o destino ao qual foi condenada.

Lars Von Trier realiza as filmagens segundo o manifesto do Dogma 95, movimento cinematográfico que preza pela produção de películas mais realistas e menos comerciais. As cenas de Dançando no Escuro, por exemplo, são filmadas pelo próprio diretor dinamarquês numa câmera digital, para utilizar minimamente a tecnologia disponível. No Festival de Cannes de 2000, a película recebeu o Palma de Ouro, e Björk ganhou o prêmio de melhor atriz. No filme, o sonho se insinua para a realidade. O palpável e visível não mais se mostra à beira dos olhos, mas perto dos ouvidos, dos passos, da voz. Selma dança em todos os nossos escuros.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Descansando de SP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s